quinta-feira, 7 de julho de 2011

SEMANA DE HERMILO 2011 (4) : "Lembrança viva de um mestre"



"Os relatos que, agora, chegam ao leitor revelam algumas, das muitas facetas, de Hermilo Borba Filho. São inéditos. Guardam, ainda, o calor de uma profunda emoção, a lembrança viva de episódios - alguns deles, pitorescos. Falam de ensinamentos que ele compartilhou com todos - mestre do palco, amigo, amante da vida. A voz é a de quem trabalhou e conviveu com ele; de quem se debruçou sobre a sua obra, o seu legado." (LÚCIA MACHADO,atriz, diretora do Centro Apolo-Hermilo,do Recife)

"Falar do criador Hermilo Borba Filho e seu importante lugar na cultura brasileira é tarefa prazerosa tanto para os que com ele conviveram quanto para os seus estudiosos e pesquisadores." (HELOÍSA ARCOVERDE DE MORAIS,professora, escritora, gerente de literatura da Fundação de Cultura Cidade do Recife)

"Desta vez, porém, o que predomina é a memória de quem conviveu com Hermilo Borba Filho, muito embora também exista neste livro a palavra de alguns artistas e de pesquisadores que, mesmo sem terem trabalhado com ele, aproximaram-se de suas idéias por meio de seus escritos ou por meio de suas encenações." (LUÍS AUGUSTO REIS,jornalista, professor de teatro, ex-diretor adjunto do Centro Apolo-Hermilo)

"Ele não se esforçava para ser lider, ele era lider. Trabalhei com muitos outros encenadores, mas jamais penso em ENCENADOR, sem me lembrar de Hermilo." (CARLOS REIS,ator e encenador)

"Enfim,como Carlos (Reis), eu também tive oportunidade de trabalhar com muitos diretores, e o que me encanta até hoje são as coisas que eu tive oportunidade de ver e de participar com Hermilo. Por exemplo, o Bumba-meu-boi..." (GERMANO HAIUT, ator e empresário)

"Então, Hermilo foi mais do que essas qualidades de encenador, de grande escritor... Ele foi um mentor para mim, foi o meu irmão. Ele foi o irmão que eu nunca tive." (JANICE HULAK, atriz, cenógrafa, psicóloga clínica)

"Um mestre é muito importante, porque ele ilumina suas idéias ainda em formação e cria muitas pontes. Foi a partir dessas pontes que, se eu fizer uma retrospectiva da minha vida, do que eu conquistei até hoje, tudo começou a ser construído. Justamente naquele momento que eu conheci Hermilo." (ZOCA MADUREIRA,músico, compositor, pesquisador e maestro)

"Hermilo foi me encorajando a descobrir o que tinha dentro de mim, a não ter vergonha de ser eu mesmo. Eu me devo a Hermilo." (JOSÉ CLÁUDIO, pintor e escritor)

"Tive o privilégio de ser sua aluna, de ser dirigida por ele, de ser amiga e mulher. Hermilo ensinou coisas fundamentais para a minha vida; eu tinha por ele uma admiração permanente, constante. Sem fazer dele nenhum herói perfeito, quem convivia com Hermilo percebia, através das pequenas e grandes decisões que a vida impunha a ele, muita responsabilidade, muita sensibilidade, muito cuidado com os outros." (LEDA ALVES, atriz, companheira de Hermilo, diretora do Teatro de Santa Isabel)

"Hermilo era rigorosíssimo em relação ao texto. Obrigava o ator a respeitar o que o autor escrevia. E esse foi o meu primeiro impacto com essa gente." (CARLOS REIS)

"Hermilo é imenso e inesgotável, como criador. A proibição do seu romance MARGEM DAS LEMBRANÇAS, quando traduzido para a Argentina, e é proibido como obra pornográfica, é um capítulo histórico da literatura brasileira." (JUAREIZ CORREYA, escritor, editor, presidente da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho)

"Ele era um homem universal na sua cultura, e na sua fabulosa facilidade para ser o homem de teatro completo." (RUBEM ROCHA FILHO, escritor, ator e encenador)

"A cidade ficava na expectativa de cada espetáculo do TPN que ia estrear, porque sabíamos que vinha alguma coisa nova; alguma coisa de estimulante, de instigante aconteceria nessa nova montagem." (MARCO CAMAROTTI,escritor, encenador e arte-educador)

"Eu estreei em teatro em 1945, quando eu nasci. Porque tudo era feito lá em casa. O Teatro do Estudante era ensaiado no quintal de casa. Não tinha como escapar, eu acompanhava os ensaios." (ALFREDO BORBA, ator, filho de Hermilo, gerente do Centro Apolo-Hermilo)

"Foi interessante porque o meu primeiro curso de teatro e as primeiras pessoas importantes na minha formação foram discípulos de Hermilo : Marcus Siqueira e Luiz Maurício Carvalheira." (JOÃO DENYS, escritor, ator, encenador, cenógrafo, figurinista)

"A cidade toda é testemunha : as coisas mais importantes daquela época se iniciaram ou aconteceram no Teatro Popular do Nordeste." (GERMANO HAIUT)

"Hermilo investigou em profundidade os brinquedos e seus mestres, sem perder a perspectiva do teatro praticado no restante do mundo." (RONALDO BRITO, dramaturgo, contista, roteirista de filmes e documentários)

"Aprendi demais com ele. Foi meu diretor em várias oportunidades. Aprendi com o homem Hermilo a lidar com as pessoas, aprendi a amar as coisas como ele amou." (JOSÉ PIMENTEL, ator, encenador e produtor teatral)

"De todas as obras que eu li, aquela que mais me encantou foi SOBRADOS E MOCAMBOS. Foi com ela que vim a trabalhar, pelo lado do erotismo exacerbado e pelo diálogo que Hermilo estabelece com Gilberto Freyre." (ANTONIO CADENGUE, ensaísta, encenador, diretor da Companhia de Teatro de Seraphim)

"Queria terminar aqui com o Alfredo ou com a Leda, mas eu queria mesmo era terminar com o próprio Hermilo. Com o começo de MARGEM DAS LEMBRANÇAS, um romance sensacional, na minha opinião um dos dez melhores romances da literatura nacional. Ele tem um começo que é bem a cara de Hermilo..." (CRISTIANO RAMOS, jornalista e crítico literário)


______________________________________________
Fragmentos de entrevistas reunidas no livro
HERMILO - LEMBRANÇA VIVA DE UM MESTRE,
organizado por Lúcia Machado,
com a participação especial de Cristiano Ramos
- Prefeitura do Recife / Secretaria de Cultura /
Fundação de Cultura Cidade do Recife
- Recife, 2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário