sexta-feira, 22 de novembro de 2013

O SONHO DA CIDADE DE LUIZ DE MIRANDA






Indiferente à vida do poeta
("Importante é a sua obra",
dizem os práticos contemporâneos),
a cidade sonha mais do que ele
a glória que nenhum gaúcho lhe deu :
um prêmio internacional,
maior entre todos,
que poderá ser também o primeiro do Brasil.
É glória da terra
pra ninguém botar defeito, tchê !
Pois nenhum Estado brasileiro
tem um Nobel de Literatura
para orgulhar a sua Cultura !


Mas ninguém quer saber onde mora o poeta
(que poderá ser uma referência turística na cidade)
nem como vive nem do que vive...
Ninguém em Porto Alegre sabe,
nem quer saber!,
que o poeta não tem emprego,
nem lugar onde morar,
onde comer e dormir.
Não há notícia no mundo de um Prêmio Nobel
que vive de esmola de amigos
esquecido e marginalizado
pelas instituições e governos
que bajularão de Última Hora a sua companhia
e a contemporaneidade da sua fama.


Mas não esqueçam :
O NOBEL É NOSSO ! 
E uma cidade que tem um Nobel de Literatura
é auto-suficiente  bastante
para não querer saber de mais nada
(até mesmo do poeta que o conquistou).



Juareiz Correya 

(Recife, 22/novembro/2013) 



quinta-feira, 14 de novembro de 2013

BIENAL EM SALVADOR E VOZES DA TERRA : NOTÍCIAS DE FRANKLIN MAXADO






     O poeta, jornalista e estudioso de literatura de cordel Franklin Maxado, meu amigo de longa data, desde a década de 1980, do tempo em que ele trabalhava na sucursal paulistana do jornal CIDADE DE SANTOS, encamnhou email (13/novembro) com convite

"para minha apresentação, sexta-feira, dia 15 (amanhã), às 19 horas, na BIENAL DO LIVRO em Salvador, onde me encontro diariamente com a minha banca de cordel e xilogravuras e meu livro O QUE É O CORDEL NA LITERATURA POPULAR.   

     Em Feira de Santana (terra natal do poeta), estarei cantando dia 27 próximo no FESTIVAL VOZES DA TERRA, no Centro de Cultura Amélio Amorim, a música "O Nordeste Agora Vai". 
E, relatando minhas atividades, dia 11 de dezembro, encerro o ciclo de Leituras Públicas, às 17 horas, no Gabinete Português de Leitura, em Salvador.  

     Abraços, Franklin Maxado." 



     Continua na estrada o meu amigo, bom poeta baiano Franklin Maxado, fazendo o que sabe muito bem fazer : divulgando, com dedicação e competência invulgar, a sua poesia e a poesia popular dos cordelistas nordestinos. (Juareiz Correya.)