quinta-feira, 30 de julho de 2015

HERMILO E O MEU CORAÇÃO





     Ontem, no final da tarde, fui ao consultório do meu cardiologista.  Ele me acompanha e orienta o meu tratamento desde o enfarte que sofri em junho do ano 2000.  Me recebeu com a boa vontade de sempre, o mesmo bom humor e tratamento fraterno.  E foi logo me repreendendo :

     - Que sumiço foi esse ?  Você esteve aqui em 2012 !...   É muito tempo, meu amigo...

     Me desculpei como pude mas valeu a advertência, reforçada quando nos despedimos e ele voltou a me cobrar, pedindo que me consultasse, com ele, pelo menos uma vez por ano. Assumi meu erro e prometi me corrigir.  

     No mais, tudo certo : com os exames à mão, me deu um novo parecer cardiológico, informando, para a minha segurança, que o meu coração está bem, e que eu devo seguir com os mesmos cuidados que tenho com a medicação, a alimentação e vivendo do meu jeito a vida renascida há 15 anos.  

     Me deu até vontade de tomar um porre (não bebo álcool há uns 5 anos...) quando saí do consultório do meu jovem amigo Hermilo Borba Griz, neto que reconhece, respeita e incentiva a minha admiração pelo seu avô, o escritor Hermilo Borba Filho.  E que demonstrou ainda mais satisfação quando lhe dei notícia sobre o que estamos projetando para o Centenário de Hermilo em 2017.  Temos coração para isso.   (JUAREIZ CORREYA) 



(Recife, Boa Vista / 30 de julho 2015)