segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

ARTISTAS DE PALMARES RECONHECIDOS NO MUNDO NÃO FORAM ESQUECIDOS PELA FUNDAÇÃO CASA DA CULTURA HERMILO BORBA FILHO

Muito importante o posicionamento, a inteligente palavra crítica do professor Marcondes Calazans sobre a desatenção, o desrespeito e o desprezo do Município dos Palmares que condenam ao esquecimento, hoje, os grandes artistas plásticos Murillo La Greca e Darel Valença Lins (Texto publicado em blog do jornal eletrônico PENOTICIA - http://www.penoticia.com.br -, dia 29/setembro/2011). Mas um pouco injusto com a Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho, que soube, nos períodos em que a administramos (de 1984 a 1987 e de 1997 a 2004), trabalhar com atenção e respeito a valorização da grandeza artística desses dois ilustres filhos palmarenses. Para começo de conversa, é bom avivar a memória e esclarecer que a instituição não apresentou ao prefeito Luís Portela de Carvalho um projeto de "museu em homenagem ao pintor palmarense Murillo La Greca", como escreve o citado professor, enfatizando o lamento de um professor da UFPE. Em seu projeto original, a Fundação Hermilo Borba Filho apresentou (1984), isto sim, a criação de um Centro de Arte Murillo La Greca, núcleo operacional onde se instalaria a Coordenadoria de Arte da FCCHBF, a princípio, no Casarão do Alto do Inglês...

Dez anos depois, com a minha volta a Palmares em 1997,a instituição retomou o projeto original, dimensionando a instalação desse Centro no edifício da ESTAÇÃO CULTURAL DOS PALMARES, a antiga Estação Ferroviária, hoje erroneamente denominada "Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho". A instalação do Centro de Arte Murillo La Greca foi iniciada, na nossa administração, em 2002, como está devidamente documentada na reportagem (capa) Palmares vai ter Estação Cultural (publicação da REVISTA ATLÂNTICA, da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho/Prefeitura dos Palmares - Ano I, número 1, maio/junho de 2003). E a Fundação Hermilo Borba Filho, muito antes, em 1984, entrevistou e documentou, em vida, o artista plástico Murillo La Greca, em sua residência no Recife. Esse documentário, gravado em VHS, foi feito pelo fotógrafo e cineasta palmarense Givanilton Mendes, com a nossa participação e a do artista plástico Ângelo Meyer, então coordenador de arte da instituição.

Por outro lado, também o artista plástico Darel Valença Lins não foi esquecido pela Fundação Hermilo Borba Filho, visto que, ainda nesse primeiro período da nossa administração, ele foi pioneiramente entrevistado, pela fundação palmarense, no Recife, sobre a sua vida e a sua arte. A entrevista, gravada em vídeo (VHS), foi documentada pelo fotógrafo e cineasta Givanilton Mendes, com a nossa participação e a do coordenador de arte Ângelo Meyer. Esses documentários fazem parte do acervo da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho que, em seu projeto "História Viva" preservou (e deve continuar preservando !) parte essencial da história artística e cultural da Terra dos Poetas.

Está provado que a Fundação Hermilo Borba Filho, não permitindo que os seus ricos valores artísticos fossem esquecidos, homenageou ainda em vida o artista plástico Murillo La Greca, dimensionando a criação de um Centro de Arte com o seu nome e, mesmo não tendo sido inaugurado, naquela época, o próprio Murillo La Greca, ao tomar conhecimento da homenagem, ficou muito sensilizado e agradecido ao prefeito Luís Portela de Carvalho e com o povo de Palmares que muito se engrandeceria com a criação e a consequente atividade do Centro de Arte Murillo La Greca.


JUAREIZ CORREYA
(Recife, 6 de dezembro de 2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário