domingo, 11 de março de 2012

RECIFE OLINDA

no ônibus
um bólide urbano
(juridicamente pobre)
trafega insensível
uma rica humanidade :
caras de paisagem
corpos em casa
emoções comportadas
um mundo de ninguém
assaltos imaginários
realidades subtraídas
medos insondáveis
taras de bolso
avenidas de luxúrias
ruas frustradas
praças fantasmas
e duas cidades
flor e fruto
homem e mulher
que não vão nem vêm
fim da linha
memória atropelada
estação sem futuro.




___________________________________
Transcrito do livro
POESIA DO MESMO SANGUE,
de José Terra & Juareiz Correya
- Panamérica Nordestal Editora,
Recife, PE, 2007.

quarta-feira, 7 de março de 2012

A POESIA É UMA FÊMEA

Ao Dia Internacional da Mulher



Para um poeta
Toda mulher tem a sua beleza.
Até mesmo a que não é
Uma Bruna Lombardi
- mais bela por dentro,
Ou uma Patrícia Poeta
- mais poema que um nome.
Toda mulher tem a sua beleza
E o homem que a desperta
Será para sempre o seu poeta.


Juareiz Correya


(Do livro inédito POEMAS DO NOVO SÉCULO)

segunda-feira, 5 de março de 2012

CORAÇÃO PORTÁTIL : "VESTIDA DE LUZ"

para a poetisa
Raquel Naveira




minha mulher
quando se desnuda
para mim
se veste
com a luz dos meus olhos



______________________________
Do ebook CORAÇÃO PORTÁTIL,
- Emooby / Pubooteca,
Portugal, 2011.