quinta-feira, 27 de junho de 2013

MENSAGEM AOS VÂNDALOS





"A mão que afaga é a mesma que apedreja."
                                (Augusto dos Anjos)



O poeta, da Eternidade,
diria aos vândalos :
"A mão que constrói
cria, da pedra, beleza.
A mão que destrói
apenas apedreja." 



                     Juareiz Correya


     (Recife, 27/junho/2013)

sábado, 22 de junho de 2013

"LIVRO LIVRE" : É UM BEM COLETIVO OU UM BEM SEM VALOR ?





     Bibliotecas que não controlam empréstimos; leitores que são incentivados a ler, devolver ou passar adiante o que fica, gratuitamente, à disposição do público...  Em Brasília, Fortaleza e outras grandes cidades, "iniciativas parecidas ganham força", é o que informa o DIARIO DO NORDESTE (http://diariodonordeste.globo.com)

     Todo esse "bem coletivo" inventado  é mesmo um grande desperdício.  Não valoriza o livro e não incentiva, para valer,  leitor nenhum...É só uma prova de que O LIVRO, impresso e caro, está a cada novo dia perdendo o seu valor. As bibliotecas não atualizam os seus acervos, não compram e valorizam livros  de editoras e de autores locais, e as poucas livrarias, também com essa receita, estão fechando e desaparecendo...

     O LIVRO, impresso ou digital, é um bem imprescindível para qualquer cidadão.  Mas devidamente valorizado.  "Livro livre", de graça, distribuído a torto e a direito como um produto qualquer, não tem mesmo o menor valor... Sobretudo para quem nunca foi e não é leitor !  ISSO NÃO É CRIAR ACESSO AO LIVRO E SIM CONTRIBUIR PARA A SUA DESVALORIZAÇÃO !

     O Livro, o Escritor e o Editor precisam, acima de tudo, de respeito.
                                                                                                   

                                                                                                Juareiz Correya 

                                                                           (IPSEP, Recife,  22 de junho / 2013)
                                                                                                       


domingo, 16 de junho de 2013

TEU MEL




Mel da tua pele 
Macio corpo  
Mel do teu rosto  
Cabelos soltos 
Mel dos teus olhos  
Folhas castanhas 
Mel da tua boca  
Palavras puras  
Mel do teu sexo  
Mais doce mel  




(Recife, março / 2013)

quinta-feira, 6 de junho de 2013

ONTENS E HOJE




                        para Giovanna.



Há muitos ontens
Tu só me vias 
E eu nem sabia
Que existias.
Hoje eu só te vejo
E se não te vejo 
Não nasce o dia.  





Juareiz Correya
(Recife, junho 2013)




quarta-feira, 5 de junho de 2013

INFERNO DO RECIFE





Fechou-se o tempo.
Abriu-se o mar do céu. 
O Recife é um arquipélago submerso.
Continente perdido, terra de ninguém.
Chove na cidade inteira :
Mais fodida do que a sua gente. 
A chuva não é um prazer, um gozo cósmico.
E não fecundará nada. 
Mergulhamos no Inferno do Inverno !



Juareiz Correya

(Recife, 5 de junho/2013)