quarta-feira, 20 de julho de 2011

Justiça Brasileira asila o terrorista Battisti e mantém a expulsão do padre Miracapillo

O ÚLTIMO EXILADO

Pedro Eurico assumiu o caso do padre italiano Vito Miracapillo, que foi expulso do País na ditadura e nunca conseguiu tirar o visto permanente. O religioso fica na ponte aérea Recife-Itália como turista. Em 1993, o então presidente Itamar Franco revogou a expulsão do padre do Brasil, mas o Ministério da Justiça nega a regularização.



........................................

A nota transcrita, publicada anteontem (Recife, segunda-feira, 18 de julho) na página DIA A DIA / Jornal do Commercio, da jornalista Roberta Jungmann, dá uma clara idéia de como é injusta a Justiça Brasileira, absurda mesmo. E nos lembra o tristemente famoso episódio recente do asilo ao terrorista Cesare Battisti, uma "conquista" do Brasil em matéria de Direito Internacional. Nada mais inglório. O nosso País, que já havia protagonizado antes, na década de 1980, a vergonhosa expulsão do padre italiano Vito Miracapillo (e recebia, ao mesmo tempo, com um carnaval carioca, o mega-ladrão inglês Ronald Biggs), continua pisando na bola, ou melhor, como faz com o nosso futebol, jogando a bola fora!!!, nas suas relações com a nação amiga Itália : dá asilo a um terrorista e mantém a injusta expulsão de um padre cujo crime foi a humanística defesa do povo pobre do município pernambucano de Ribeirão, região Mata Sul do Estado.

Lembramos, por isto, às autoridades brasileiras, a palavra exemplar de Dom Helder Camara, Arcebispo de Olinda e Recife, no clímax do infeliz episódio que macula, ainda hoje, a Justiça Brasileira :

"Em lugar de julgar os juízes da nossa Corte Suprema, prefiro dirigir-me ao Padre Vito : vá tranquilo, Padre Vito. Agradeço a Deus que você não leve travo nenhum em seu coração. Continuaremos a luta pacífica, mas corajosa, da qual você participou. Continuaremos, inclusive, a sustentar que defender os direitos humanos é direito e dever de todas as criaturas humanas, sobretudo os cristãos. Saiba que não é o povo brasileiro que o está expulsando. E alegra-me pensar que, assim que o Estatuto dos Estrangeiros assumir uma redação mais humana, você voltará a este país e a este povo que você leva em seu coração. (...) A Igreja, com a ajuda divina, não mudará sua linha pastoral, aprovada abertamente pelo Santo Padre, em sua inesquecível visita ao país." (Jornal do Brasil, Rio, 31/10/1980)
- Contracapa do livro O CASO MIRACAPILLO - CONFLITO ENTRE O ESTADO E A IGREJA NO BRASIL, de Vito Miracapillo, publicado pela Nordestal Editora/Comunicarte, Recife, PE, 1985.

Nenhum comentário:

Postar um comentário