quarta-feira, 29 de agosto de 2012

CORAÇÃO PORTÁTIL : "Sonhos"





"O que você deseja ver nos seus sonhos ?"
                               (LÚCIA MENEZES)



     Minha amiga ficou curiosa quando escrevi num email : "gosto de sonhar / porque eu vejo" (Um cego, de Olinda). Ela me enviou logo a pergunta em epígrafe.  A resposta exige o exercício da lembrança sobre a gênese de um poemeto intitulado "Sonhos", publicado no meu ebook CORAÇÃO PORTÁTIL (Emooby Pubooteca, Portugal, 2010). 

     Eu morava no Jardim Atlântico, bairro de Olinda, e sempre que estava no Recife ia até o ponto do ônibus Casa Caiada, na Dantas Barreto, centro da cidade, para voltar para casa. Certo final de tarde a conversa de uma mulher, na fila do ônibus, à minha frente, me chamou a atenção : ela falou qualquer coisa com outra pessoa sobre São Paulo e iniciamos uma conversa cordial. Em seguida nos sentamos juntos, no ônibus, de volta a Olinda.  Ela também morava no Jardim Atlântico e desceria umas três paradas depois que eu descesse (ao lado do Colégio Carneiro Leão).  No caminho, conversamos um pouco sobre Olinda misturada com São Paulo, onde moramos em tempos distintos e algo distantes, ela disse que gostaria de voltar a viver lá mas que não podia por causa do seu compromisso com o pai.  Nesse ponto a conversa ficou meio dolorosa, pois ela contou logo o motivo do compromisso com o pai, filha única que não podia se afastar dele, mesmo comprometida com o marido e dois filhos.  É que o seu pai havia ficado cego há alguns anos.  A cegueira progressiva, lenta, gradual, e já então total, exigia que ela se dedicasse a ele de forma integral.  Sensibilizada, e sem tristeza, ela lembrou uma frase dele, certa noite, quando ia dormir : "Gosto de sonhar porque eu vejo."

     Quando desci do ônibus a frase do pai dela ficou comigo, me seguiu para casa, encravada na minha memória. Não lembro o seu nome,  não a vi mais (e eu queria lhe mostrar  o poemeto que escrevi, ainda morando no Jardim Atlântico,  motivado pela frase iluminada do seu pai).  Este é o poemeto : 


SONHOS


gosto de sonhar
porque eu vejo
muito além do que os olhos vêem.
gosto de sonhar
porque o corpo
vive além da sua carne.
gosto de sonhar
porque a vida
supera o tempo e a morte. 




__________________________________
CORAÇÃO PORTÁTIL (poesia),
de Juareiz Correya 
- Emooby Pubooteca 

Um comentário:

  1. Que lindo! Estou encantada com as palavras que formaram o poema que acabei de ler. Tentei entrar em contato por e-mail, mas não consigo.
    Por gentileza, quando puder, meu e-mail é gabriele.limah@outlook.com

    ResponderExcluir