terça-feira, 24 de janeiro de 2012

POESIA VIVA DE SÃO PAULO : Uma homenagem que não tem idade

Nos seus 458 anos completados neste dia 25 de janeiro, a Cidade de São Paulo merece todas as festas dos paulistanos, dos paulistas, e de todo o povo brasileiro. Festejar o seu aniversário orgulha, naturalmente, qualquer cidadão deste País, e, acredito que, em geral, toda a América do Sul saberá, a seu modo, fazer isso.

Conheci São Paulo nos meus 18 anos de idade e já estamos, agora, com mais de 40 anos de convivência (de perto, de dentro, de longe, de fora...) Conheci a cidade (antipoética ? antimusical ?) pela sua Poesia, pela voz dos seus poetas, ciceroneado, de chegada, pelo poeta e jornalista Ramão Gomes Portão e pelo poeta e editor paulistano Renzo Mazzone. Foram os tempos da minha primeira aventura editorial com a poesia, publicado nas páginas das antologias da série Poetas da Cidade , da Editora ILA Palma. Depois, trânsito livre em Santo André, encontros com Fausto Polesi e o seu "Diário do Grande ABC", a UBE do centro de São Paulo, Caio Porfírio Carneiro, Henrique L. Alves, Alberto Beuttenmuller, Álvaro Alves de Faria, Antonio Possidonio Sampaio, Fernando Coelho, Dalila Teles Veras...

Devo a São Paulo uma parte essencial da minha poesia. Lá escrevi, há exatos 40 anos, o meu poema AMERICANTO AMAR AMÉRICA, que é definitivo na minha vida, independente do seu valor (se tem ou não), ou se é apenas um poema e se isto não quer dizer nada. Para mim, diz tudo, e eu não escondo de ninguém que me bastaria apenas ter escrito esse poema que valeria a pena ter me dedicado, até hoje, à criação de alguma poesia.

E por gratidão a São Paulo - embora tenha sido, em alguns versos que publiquei, extremamente duro e ácido com a cidade - penso e tenho trabalhado, sempre que posso, para relevar a cidade, sobretudo no que ela tem de grandemente rico, e ainda pouco valorizado, que é a poesia produzida pelos seus poetas. Por força disso, organizei com a poetisa Dalila Teles Veras (diretora da Livraria Alpharrabio, de Santo André), a antologia POESIA VIVA DE SÃO PAULO - reunião de textos publicados sobre a cidade por mais de 80 poetas paulistas contemporâneos. Devidamente atualizada ao longo dos últimos 30 anos, esta antologia será publicada, em 2 volumes (2 ebooks), pela Panamerica Nordestal Editora, do Recife, em parceria com uma instituição cultural paulistana, no próximo aniversário da cidade. É a poesia de São Paulo viva, além do plano físico do livro, na indimensionável amplidão da rede mundial de computadores. - JUAREIZ CORREYA (Recife, janeiro de 2012)

2 comentários: