segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

FESTA NA VÉSPERA DO DIA 8 DE "NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO" (PALMARES, PE)





PRAÇA DA LUZ
 (CENTRO - PALMARES - PE) 
Na calçada da casa (1710), onde a gente morava, 
sentada ao meu lado,  está a minha mãe (Carminha) 
e, de pé, camisa aberta, boné, o meu pai (Mestre Biu Alfaiate). 
Meu irmão Jamilton pode ser visto à minha direita, 
também sentado, com a filha Isolda ao colo; e, por trás dele, 
nosso amigo Valter Portela.  
A foto é de Givanilton Mendes (dezembro, 1984) 



Lembrança viva, nesta noite de hoje, de noites como a desta data, não muito distantes, em Palmares : eu me reunia, na Praça da Luz, centro da cidade, com os meus pais, meu irmão Jamilton, minhas irmãs Marinalva, Marinalda e Marly, minha companheira, os filhos pequenos José Terra e João Guarani, alguns amigos e suas companheiras, com comidas e bebidas, como se fosse motivo para festa (estávamos mesmo no dia da véspera da maior festa católica da cidade, a Festa do Dia 8 de Nossa Senhora da Conceição dos Montes), para lembrar uma noite igual a esta  em que fomos presos - eu, Jamilton, baleado no pé, na rua da Aurora, perto de casa. e Givanilton Mendes, amigo, fotógrafo e pai de família respeitado, mas preso arbitrariamente pela polícia civil do Estado quando participava de uma pequena confraternização, com os seus amigos, em um bar no Cantochão, à entrada da cidade... 

Havia motivo para fazer festa ? Muito mais do que a maior festa da cidade, no dia 8 de dezembro. Se não me falha a memória, na noite do dia 7 de dezembro de 1979, fomos presos em Palmares, levados para o DOPS, no Recife, e, depois de 3 dias dessa prisão arbritrária, "sem culpa nenhuma no cartório",  fomos libertados numa noite de segunda-feira (já era um 11 de dezembro), para reencontrar, em casa, na Praça da Luz, familiares, vizinhos, amigos e amigas. 
A liberdade é sempre motivo de festa. E essa festa é melhor ainda quando a liberdade vence a injustiça.  Esse era o motivo da nossa lembrança e da nossa festa, que durou vários anos, na calçada da casa dos meus pais, na Praça da Luz, centro de Palmares.  E que só acabou por causa do "encantamento" do nosso amigo Givanilton Mendes, quando ele  ainda era responsável pela Coordenadoria de Documentação da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho... 
(JUAREIZ CORREYA) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário