sábado, 22 de junho de 2013

"LIVRO LIVRE" : É UM BEM COLETIVO OU UM BEM SEM VALOR ?





     Bibliotecas que não controlam empréstimos; leitores que são incentivados a ler, devolver ou passar adiante o que fica, gratuitamente, à disposição do público...  Em Brasília, Fortaleza e outras grandes cidades, "iniciativas parecidas ganham força", é o que informa o DIARIO DO NORDESTE (http://diariodonordeste.globo.com)

     Todo esse "bem coletivo" inventado  é mesmo um grande desperdício.  Não valoriza o livro e não incentiva, para valer,  leitor nenhum...É só uma prova de que O LIVRO, impresso e caro, está a cada novo dia perdendo o seu valor. As bibliotecas não atualizam os seus acervos, não compram e valorizam livros  de editoras e de autores locais, e as poucas livrarias, também com essa receita, estão fechando e desaparecendo...

     O LIVRO, impresso ou digital, é um bem imprescindível para qualquer cidadão.  Mas devidamente valorizado.  "Livro livre", de graça, distribuído a torto e a direito como um produto qualquer, não tem mesmo o menor valor... Sobretudo para quem nunca foi e não é leitor !  ISSO NÃO É CRIAR ACESSO AO LIVRO E SIM CONTRIBUIR PARA A SUA DESVALORIZAÇÃO !

     O Livro, o Escritor e o Editor precisam, acima de tudo, de respeito.
                                                                                                   

                                                                                                Juareiz Correya 

                                                                           (IPSEP, Recife,  22 de junho / 2013)
                                                                                                       


Nenhum comentário:

Postar um comentário