quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

NA ESTRADA, DEPOIS DO PRIMEIRO LIVRO PUBLICADO





     Programei, com a diretora e amiga Jessiva Sabino de Oliveira, um lançamento, do meu primeiro livro publicado, na Biblioteca Pública Fenelon Barreto, de Palmares, minha cidade natal, bem nos moldes de lançamento de livro em uma cidade do interior : convite impresso e coquetel (da Prefeitura), discursos de personalidades locais...   Isto aconteceu no início do ano de 1972, me mandei da cidade algumas semanas depois, de volta a São Paulo, e, da capital paulista, logo em seguida, ainda desempregado, resolvi cair na estrada em uma viagem sem destino.  A viagem durou quase 40 dias, feita a pé, de carona, de trem, de ônibus, na longa e sinuosa estrada BR-101 e seus caminhos pelo Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia... A experiência, que foi humanamente enriquecedora, está sendo narrada em uma novela autobiográfica que reescrevo atualmente (perdi a primeira versão datilografada) com o título A LONGA E SINUOSA ESTRADA ( Sim, é isto : o título é inspirado em uma canção dos Beatles)

     Então, ainda no final de 1972, cheguei novamente a Palmares, concluindo essa viagem que eu pensava sem destino.  E passei os meses iniciais de 1973, na cidade, como uma figura meio marginalizada, meio "hippie", e até sendo considerado por uma linguinhas maldosas, por causa do meu jeito despojado, de cabelos e barba grandes, sem cuidado, do meu isolamento e distanciamento de todos, considerado e tratado como "doido".  (Isto me inspirou, anos depois, o título do meu cordel urbano "Um doido e a maldição da lucidez"...)  E eu estava, na verdade, me descobrindo como jamais imaginaria, escrevendo poemas livres e soltos, de linguagem sem rebuscamento, nua e crua, cada vez mais consciente do que fazia e dedicado, de corpo e alma, à Poesia. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário