quarta-feira, 1 de abril de 2015

UM GOLPE NA MEMÓRIA (Palmares, abril de 1964)





À memória de Gregório Bezerra, 
o "agitador comunista" perseguido. 



Em um horizonte perdido na rua, 
a alguns metros da Praça 
onde a gente estava
 - um pequeno grupo de garotos -, 
soldados cercaram uma casa 
e se posicionaram contra todas as pessoas que transitavam  
e engatilharam seus fuzis e metralhadoras  
numa operação de guerra  
para prender um único "agitador comunista" 
que ameaçava a Ordem deles. 
De repente, sem Progresso nenhum, 
o horizonte ficou fardado de verde 
tapando e inutilizando o sol da tarde  
(como um prisioneiro sequestrado) 
e a alegria dos nossos olhos infantis.    

E naquele dia 
a Praça já não era mais "da Luz" 
o perseguido não foi encontrado 
o Exército não era de nada  
Palmares nunca foi uma Moscou 
e aquela quartelada de Primeiro de Abril 
- uma mentira que poderia não existir mais no Dia 2 -, 
sem ter assustado a nossa infância, 
condenou nossas juventudes e futuros 
a uma longa noite de terror : 
o tempo que a Ditadura Militar criou ! 




JUAREIZ CORREYA 

(Recife, 1 de abril de 2015)
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário